Não é associado? Associe-se
Recuperar minha senha

Choosing Wisely FBG

Autor: FBG | Publicado em: 12/11/2018

Acesse o questionário da FBG: http://bit.ly/CWB_FBG

As 5 recomendações melhor ranqueadas farão parte da lista final FBG - Choosing Wisely Brasil

O QUE É CHOOSING WISELY?

Em 2012, o American Board of Internal Medicine iniciou nos Estados Unidos a campanha Choosing Wisely, que poderia ser traduzido como “usando de sabedoria nas escolhas” ou “escolhendo sabiamente”. Esta iniciativa surge da percepção da falta de sabedoria na utilização exagerada ou inapropriada de recursos em saúde. Choosing Wisely é uma campanha que vai ao encontro do paradigma Less is More


Seria impositivo e mal recebido se o American Board of Internal Medicine iniciasse uma campanha contra condutas normalmente adotadas por especialidades médicas. Desta forma, ao invés de criticar os especialistas, foi solicitado a cada especialidade que apontassem condutas médicas correntes que não deveriam estar sendo adotadas. Isto obrigou os próprios especialistas a refletirem e contraindicarem suas próprias condutas fúteis. Agora, eles tinham a responsabilidade da autocrítica. 


Hoje, o Choosing Wisely se expandiu oficialmente para outros países, como Canadá, Inglaterra, Alemanha, Itália, Holanda, Suíça, Austrália, Nova Zelândia e Japão. Estes países estão agrupados no denominado Choosing Wisely International, coordenado por Dra. Wendy Levinson. Esta iniciativa serve de inspiração para qualquer país que insiste em imitar o padrão americano de consumo de recursos pseudocientíficos. O Brasil é um deles. 


Outro aspecto enfatizado pelos organizadores é que as recomendações do Choosing Wisely não têm o intuito primário de economizar recursos, mais sim de melhorar a qualidade da assistência, que deve ser embasada em evidências, aumentando a probabilidade de benefício e reduzindo o risco de malefício à saúde dos indivíduos. 

Sendo assim, o Choosing Wisely recomenda o que não devemos fazer. Traz um paradigma interessante, pois normalmente somos treinados a discutir o que devemos fazer. Os guidelines falam muito mais no que devemos fazer, do que não devemos fazer. E as recomendação do não fazer (recomendação grau III), normalmente, se limitam a condutas comprovadamente deletérias. No entanto, além da prova do dano, há outras razões para não adotarmos condutas. Ou colocado de outra forma, não significa que temos que fazer algo só porque não é deletério. 

O ônus da prova está no desempenho (eficácia) e utilidade (relevância) de uma conduta. Assim, os seguintes motivos podem justificar que não se adote certas condutas: 

1) Terapia prejudicial - isso é óbvio, portanto não é o foco principal do Choosing Wisely

2) Terapia desconhecida quanto à sua eficácia (não há demonstração) - há tantos exemplos de condutas que fogem à plausibilidade extrema, porém são adotadas, sistematicamente, baseadas em crenças. 

3) Terapia comprovadamente ineficaz, embora segura - isso também se faz, pois muitas vezes ensaios clínicos negativos não são valorizados por irem de encontro a nossas crenças. 

4) Testes diagnósticos ou prognósticos aplicados em situações inúteis (fúteis), trazendo resultados potencialmente prejudiciais (overdiagnosis). 

O pensamento Choosing Wisely é de vanguarda, combatendo o paradigma da mentalidade do médico ativo, onde fazer mais é sempre melhor. Algo muito prevalente, porém provavelmente obsoleto em 10-20 anos. Resta cada um saber que caminho escolher: um caminho reflexivo, de vanguarda ou o caminho tradicional e ultrapassado.

A Federação Brasileira de Gastroenterologia abraçou essa iniciativa que já está sendo implementada por outras sociedades de especialistas em nosso meio e gostaríamos em nome da Comissão Jovem Gastro que coordenou a elaboração da da lista inicial com 9 recomendações, e gostaríamos de contar com a sua colaboração para seleção das 5 recomendações Choosing Wisely da Federação Brasileira de Gastroenterologia melhor ranqueadas pelos sócios da FBG que irão compor a lista final Choosing Wisely da Federação Brasileira de Gastroenterologia que será oficialmente divulgada durante o Curso Jovem Gastro na XVII Semana Brasileira do Aparelho Digestivo. Responda o formulário enviado em anexo e faça parte dessa ação! O prazo para envio das respostas será até o próximo dia 15/11.

Saiba mais: https://www.youtube.com/watch?v=fZrir5SVTi0&


Comissão Jovem Gastro 

Federação Brasileira de Gastroenterologia Gestão 2017-2018